Persa

A raça é uma das mais conhecidas e apreciadas no mundo. Seja por seu caráter doce e reservado ou por sua elegância.

Seu instinto felino é muito menor que de outros animais de sua espécie já que a raça é resultado de um trabalho árduo de seleção genética.

O excessivo achatamento do focinho começou a ocasionar problemas de saúde em 1993, preocupados com isso, as associações de criadores em todo mundo passaram a evitar a produção de Persas com a cara achatada demais.

São gatos de caráter tranqüilo e capazes de passar todo o dia dormindo.

 

13 histórias de gatos pelo planeta

1 – No Camboja, existe um ritual onde um gato é levado para passear em todas as aldeias. O ritual garante que não falte chuva e a colheita de arroz seja farta para todos.

2 – No Japão, o gato Maneki-Neko (aquele com uma das patinhas levantadas) é um dos símbolos da boa sorte daquele país e usado, até hoje, como talismã pelos marinheiros durante as tempestades.

3 – Na Índia, se um gato estranho entrar em casa, ele é tratado com todo carinho e tem liberdade de ficar enquanto quiser. Para os indianos sua presença traz prosperidade à casa.

4 – Para os agricultores da Letônia, encontrar um gato preto nos depósitos de sementes é uma ótima notícia. Para eles, estes gatos são o espírito de Rungis, Deus da Colheita.

5 – Os Indonésios acreditam que espargir gotas de água sobre um gato pode atrair chuva.

6 – Na América pré-colombiana, embora não houvesse gatos domésticos, os grandes felinos, como o puma e as onças, eram reverenciados como deuses. O jaguar era símbolo de extrema força e sabedoria. Alguns povos locais acreditavam que seus curandeiros se transformavam neste animal após a morte.

7 – Os gatos são venerados nos países islâmicos. Diversas lendas associam nosso amigo felino a Maomé. Dizem que o profeta estava a ponto de ser atacado por uma serpente venenosa quando um gato o salvou da morte certa.

8 – Na Escandinávia os gatos também são símbolos de fertilidade.

9 – Em 1961, milhares de gatos foram transportados de avião para a ilha de Bornéu, Indonésia, para acabarem com uma grande invasão de ratos nos arrozais. Sucesso total…os gatos evitaram que milhares de pessoas daquela ilha morressem de fome.

10 – Joseph Ratzinger, antes de ser o atual Papa Bento XVI, já vivia em Roma como cardeal, presidindo uma congregação da Cúria Romana. Tinha dois gatos, um dos quais ele recolheu nas ruas próximas à cidade do Vaticano.

11 – No sul da França, existia a lenda dos gatos mágicos chamados matagots, que trazia fortuna e sorte a quem os acolhia e amava.

12 – Em algumas partes da Europa o gato foi considerado a personificação do Espírito de Trigo e, até o século passado, em Briançon (França), as colheitas de trigo eram presididas por um gato enfeitado com rendas e flores e que, depois, era sacrificado ritualmente por ocasião da colheita das últimas touceiras – para garantir a safra seguinte, uma vez que só liberando o Espírito Trigo (temporariamente ¨aprisionado¨no corpo do gato), a terra seria fecundada e as sementes germinariam.

13 – No norte da Escócia, a gata era associada ao Espírito do Fogo e tinha um ritual próprio – o Taigherin -, celebrado na intenção de conquistar as boas graças dos deuses.

 

13 histórias de arrepiar 

1 – O papa Inocêncio VII, no final do século XV, mandou que todos os bruxos fossem queimados juntos com seus gatos, cúmplices de suas feitiçarias. Milhares de gatos e seres humanos foram torturados e mortos nesta época. Isso porque os gatos estavam associados às religiões pagãs e o Cristianismo rechaçava e renegava tudo o que havia sido cultuado pelas civilizações mais antigas. O resultado? O crescimento da população de ratos e a disseminação de doenças como a Peste Bubônica que levou mais vidas que a própria Inquisição.

2 – Na Tailândia, acreditavam que as almas das pessoas muito evoluídas migravam apa o corpo de um gato e depois subiam aos céus e havia um ritual no qual o gato era enterrado vivo junto com o morto. No túmulo era feito um buraco para que o animal saísse. Assim, quando o gato abandonasse o túmulo, os monges sabiam que a alma já havia penetrado no corpo do animal.

3 – No século XVI, se um gato preto deitasse na cama de uma pessoa doente ela morreria. Também acreditavam que um gato não permanecia na mesma casa em que alguém estivesse para morrer. Se o gato de uma família se recusasse a ficar na casa, era um mau presságio.

4 – ¨O gato comeu sua língua?¨Há uma história bastante antiga a respeito de um rei que gostava de impor duras penas aos seus prisioneiros. Este rei era um admirador de gatos. E um belo dia, tendo ao lado seu gato favorito, mandou cortar a língua de um infeliz prisioneiro e deu-a de presente ao bichano, que a comeu, satisfeito…

5 – Na Europa Medieval os gatos eram emparedados vivos dentro de um edifício em construção para que o prédio não fosse atacado por roedores ou espíritos malignos.

6 – Os gatos também eram utilizados em adivinhações. Colocavam vários objetos com um determinado significado em um local e em seguida ¨pediam ¨para que o gato escolhesse um deles. Dizia que sua escolha baseava-se na sua capacidade de comunicar-se com os reinos ocultos e saber suas respostas.

7 – Na Romênia, se um gato pulasse sobre um morto ele se tornaria um vampiro.

8 – Os escoceses acreditavam que se um gato entrasse no cômodo onde estivesse um morto, a próxima pessoa,  aproxima pessoa que tocasse o gato ficaria cega.

9 – Na Irlanda, se um gato preto cruzasse o caminho de alguém numa noite de luar era sinal de morte numa epidemia.

10- Se a procissão de um funeral encontrasse um gato preto pelo caminho era sinal de que outro membro da família do morto também morreria.

11 – No início do Cristianismo, se um gato sentasse sobre uma sepultura era porque a alma do morto estava no inferno. Ver dois gatos brigando próximo a uma pessoa morrendo, ou na sua sepultura, logo após o enterro, significava que o demônio e os anjos lutavam por sua alma.

12- No século XIX, arqueólogos descobriram mais de 300 mil múmias de gatos num cemitério em Tall Bastash, cidade do delta do Nilo onde ficava o principal templo de Bastet. A vilã da história era Sekmet, a deusa-gata das forças destrutivas, da guerra e das pestes. Ela e Bastet, juntas, representavam o equilíbrio das forças da natureza.

13 – A queima de gatos na cidade de Campia-Portugal, durante a época do Carnaval. A tradição consiste em meter um gato vivo dentro de um cântaro que depois é içado no topo de um mastro forrado com palha, onde o cântaro fica preso por cordas, o cântaro cai e quebra-se liberando assim o gato. Devido a protestos, o ritual com um gato verdadeiro não é celebrado desde o ano passado e o gato foi substituído por um outro, de pelúcia.

 

13 Superstições 

1 – Se você tiver um gato e mudar de casa, passe manteiga em suas patas para que ele não volte apara a casa antiga.

2 – Quem pisa no rabo de um gato não casa no ano em que isto ocorre.

3 – Sonhar com gato é sinal de desavenças por questões de dinheiro.

4 – gatos podem predizer o tempo: quando vai ventar eles unham os tapetes e cortinas. E se limpam as orelhas insistentemente pode se preparar: é chuva na certa!

5 – Se o seu gato começar a lavar a cara e a lamber as patas na sala de visitas, pode acender o fogo e começar a preparar o cafezinho. Tem visita chegando…

6 – O gato foi embora de mala e cuia? Dizem que quando isso acontece é porque ele levou todas as energias negativas que rondavam a sua casa.

7 – Prepare-se e feche as janelas….Se seu gato estiver dormindo com as quatro patas escondidas debaixo do corpo, significa chegada de temporal.

8 – Se você chutar um gato terá reumatismo naquela perna.

9 – Acabar com uma das sete vidas de um gato, mesmo que seja apenas uma, é ser perseguido por ele para o resto da vida. Já pensou?

10 – Se seu gato espirrar é bom presságio para quem ouvir. Saúde para os dois.

11 – Está com terçol? Fácil! Esfregue o rabo de um gato preto nele e pronto! O terçol desaparece.

12 – Se um gato preto entrar em casa é sinal de dinheiro chegando. Oba!

13 – Se você quiser aumentar sua alegria de viver, adote um gato e cuide dele com todo amor e carinho. Com certeza isso trará à sua vida bons fluidos e muita energia positiva! Quem tem gatos, sabe… Essa ¨simpatia¨é infalível.

 

13 Provérbios sobre gatos 

1 – gato de luvas não pega rato.

2 – Gato que mia quer carne.

3 – Quando o gato sai, os ratos fazem a festa.

4 – Gato nasce com unhas e de olhos fechados, mas não arranha sua mãe.

5 – Gato escaldado tem medo de água fria.

6- Gato gordo não apanha rato.

7 – Gato miador não é bom caçador.

8 – Gato pede miando e come rosnando.

9 – O que é brinquedo para o gato é morte para o rato.

10 – Gato sem unha não briga.

11 – Enquanto o gato anda pelo telhado, anda o rato pelo sobrado.

12 – Muito sabe o rato, mas mais sabe o gato.

13- Bem conhece o gato as barbas que lambe.

Persa Branco 

Aspecto Geral: Tamanho de médio a grande

Pêlos: Longos

Peso: De 3,5 a 7 kg

Temperamento: De gosto refinado, bem educado e amigo, orgulha-se de sua pelagem, limpando-a regularmente. São animais leais, afetuosos e calmos, mostrando-se ótimas companhias.

Persa Creme

Aspecto Geral: Tamanho de médio a grande

Pêlos: Longos

Peso: De 3,5 a 7 kg

Temperamento: Um gato equilibrado e amigo.

Maine Coon

Aspecto Geral: Tamanho Grande

Peso: de 4 a 12 kg

Pêlos: Longos

Ossatura: Longa

Temperamento: Em geral, é companheiro afetuoso e, talvez por causa de sua origem humilde, dorme nas posições mais estranhas possíveis; é muitas vezes visto ¨encaracolado¨em um canto qualquer. Outra notável característica é o som que emite, parecido a um gorjeio ou ao canto de um grilo.

Siamês

Aspecto Geral: Tamanho Médio, esbelto e elegante.

Peso: De 2,5 a 5,5 kg

Pêlo: Curto

Temperamento: É o mais extrovertido dos gatos domésticos, com sua voz alta, impossível de ser ignorada. Inteligente, em geral se torna devotado ao dono.

Bengal

Aspecto Geral: Tamanho médio a grande.

Peso: De 5,5 a 9 kg

Pêlo: Curto

Mediolíneo de forte ossatura.

Temperamento: Ativo, inteligente e amoroso, adapta-se bem à vida em família e é ótimo companheiro. No entanto, aqueles que pertencem às três gerações de cruzamento de híbridos originais (atualmente poucos) podem manifestar o lado selvagem.